domingo, 23 de janeiro de 2011

Só tu

(Arrumando gavetas, olha só o que eu encontro...)

Dos lábios que me beijaram,
Dos braços que me abraçaram
Já não me lembro, nem sei...
São tantas as que me amaram!
São tantas as que eu amei!
Mas tu - que rude contraste! 
Tu, que jamais me beijaste,
Tu, que jamais abracei,
Só tu, nestalma, ficaste,
De todas as que eu amei. 

                 Paulo Setúbal

(... será que todo mundo tem um amor inesquecível?)

2 comentários:

Erica Vittorazzi disse...

Amor impossível também....


beijos

ϟ Juℓy ® disse...

Ah tem, nem que seja amor de infância hehe! Muito lindo o poema!

Beijoss