quinta-feira, 9 de abril de 2009

Na bagunça dos arquivos...

Arrumando as minhas pastas/arquivos no computador (ou tentando arrumar, rs), encontrei um poeminha de um tempo em que já fui mais romântica...

Amo-te


Amo-te, em silêncio.
No cuidado velado,
No carinho delicado,
No verso dedicado.

Amo-te, sempre.
No som do vento a assobiar,
Nas noites sem luar,
Ao ver o sol beijar o mar.

Amo-te, bem baixinho.
No bilhete não enviado,
No olhar envergonhado,
No sorriso acanhado.

Amo-te, do meu jeito.
No caminhar errante,
Na dor dilacerante,
Na alegria de um instante.

Amo-te, por inteiro.
No beijo não dado,
No abraço adiado,
No afago desejado.

Amo-te, em segredo.
Na alegria por te ver,
Na dor de não te ter,
Na insistência em te querer.

3 comentários:

Mônica Paz disse...

Mas que amor sofrido... pq tem que ser assim?

Bonito!

bjs

Brunas F. disse...

q lindooooooo!!!

amei!

pq não escreve mais poemas?

Bjo

(primeira vez que passo no seu blog...to participando da brincadeira da comunidade dos blogueiros rsrs mas adorei seu cantinho viu ;])

Paulinha disse...

obrigada, bruna.
seja bem-vinda.